terça-feira, 15 de dezembro de 2015

aluga-se 
um poema cômodo 
quarto-sala
com silêncio 
convulsivo 
de frente pro ar
de costas pro mundo